5 06 2010

Bem-vindo ao Análise Geo – geoprocessamento e clima urbano, portal que tem como objetivo unir essas duas áreas do conhecimento. Aqui o usuário encontrará um acervo com textos, artigos, metodologias e dados espaciais disponíveis para Download, que dão uma pequena mostra da união das metodologias de geoprocessameno voltadas pra análise do clima urbano.





I3geo e o Jampa em Mapas

31 08 2010

I3geo e o Jampa em Mapas
 
Realmente é um desafio desenvolver um projeto que disponibilize dados geográficos na Internet. Imediatamente surge uma grande gama de questionamentos. O que é como usar? Como disponibilizar? Qual plataforma, interface, Framework? Shapefile ou migrar para um Baco de dados geográficos?

Após passar o “mar de duvidas” optei por utilizar o I3Geo, Interface Interativa para Internet de Ferramentas de Geoprocessamento. Esse é um aplicativo desenvolvido pela CGTI (Coordenação Geral de Tecnologia de Informação) do Ministério do Meio Ambiente. Ele consiste em um servidor de mapas baseado em softwares livres, principalmente MapServer, associado a outros softwares e bibliotecas como: GDAL, PROJ4, OGR, R, CPAINT, YUI, entre outros, utilizando como plataforma de funcionamento navegadores para internet. O i3geo apresenta grande vantagem por se livre, ou seja não há custo na aquisição das licenças de programas proprietários similares. Outra grande vantagem é a possibilidade de integrar os dados com outras API (Application Programming Interface) em espacial a do Google Earth. Nesse sentido, as imagens de satélite imagens são extremamente importantes já que auxiliam na observação e análises de fenômenos como o monitoramento de processos de ocupação, nas análises de impactos ambientas, da expansão e distribuição espacial da malha urbana, entre outros. É bom também, deixar claro que o i3Geo possui uma interface de fácil customização, já que para funcionar necessita apenas de edições, principalmente dos códigos para Internet (.html) e arquivos de marcação mapfile (.map), ajudados conforme a desenho da solução que necessitamos. Nesse quesito os arquivos mapfiles merecem destaque, pois são responsáveis por definir a forma como os níveis de informações serão exibidos (cores, espessura de linha, hachuras de preenchimento).

Como resultado posso destacar o acesso a informação. Assim, a disponibilização de dados geográficos na Internet através de um sistema de Informações Geográficas (SIGWEB), permite que a informação inicialmente concentrada nas mãos do poder público, seja de domínio de qualquer morador que se interesse pela administração do seu município. Tornando prático e acessível a interação da base cartográfica com outras secretarias da prefeitura municipal de João Pessoa, que vão dispor de um dado constantemente atualizado e que antes estava disponível apenas no setor de geoprocessamento da secretaria de planejamento (Seplan) e só eram liberados mediante à processos ou a consulta previa de interessados que tinham que se deslocar até o mesmo. Desta forma o aplicativo também contribuiu para diminuir a burocracia de acesso a essas informações.

Como profissional sinto-me realizado, aprendi muito com este trabalho e espero sinceramente que o resultado tenha ficado de bom grado.

Obrigado pelo desafio, abraço a todos!

Site do Jampa em mapas: http://www.joaopessoa.pb.gov.br/jampaemmapas/






Programas de SIG

10 06 2010

A multiplicidade de blogs voltados a geotecnologias têm contribuindo em muito para a desmistificação dos softwares de SIG, o que, sem duvidas é essencial para tirar o máximos das informações produzidas nas diversas áreas do conhecimento.

As antigas metodologias que fazem demandar um esforço maior no tratamento dos dados e consequentemente na geração de mapas temáticos são gradativamente substituídas por ferramentas mais específicas. Hoje, por exemplo não é obrigatório fazer seleções manuais, ou clicar repetidas vezes em determinados elementos quando se deseja mudar a cor desses, num mapa. Claro, pra isso é fundamental ter um dado confiável e corretamente tratado e um bom programa de SIG.

Talvez, a grande característica dos programas de SIG, seja justamente essa, tornar o mapeamento cada vez mais pratico. Nessa linha de raciocínio, imperaram duas correntes uma de software proprietários, que vende agilidade, representado pelo ArcGis da esri. A outra linha são os do SIG livre, ferramentas gratuitas, que pode ser personalizadas e melhoradas de acordo com os interesses dos usuários e que podem substituir o gigante da ESRI a altura.

A linha dos SIG livre posso citar dois que me agradam bastante o Kosmo e o gvSIG que estão hoje entre os softwares livres mais utilizados no mundo.

  • Existe também um curso online introdutório ao uso do gvSIG, desenvolvido no IFGO (Antigo CEFET Goiás), que abrange desde aspectos sobre a interface do programa, manipulação de dados vetoriais, matriciais, das projeções cartográficas até a geração de produtos cartográficos como mapas.

    Para acessar o curso online clique aqui.